Notícias

A+
A-

Em razão das irregularidades apontadas no parecer, a relatoria determinou a Rivaldo Pereira, imputação de multa no valor de R$ 4 mil, a ser recolhida ao erário municipal com recursos pessoais, no prazo de 30 dias a contar do trânsito em julgado do parecer prévio.

16 de dezembro de 2010












O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta
quarta-feira (15/12)

 

aprovou com ressalvas as contas da Prefeitura de Cansanção, da responsabilidade de Jarbas Pereira Andrade
(período de 01/01/09 a 11/02/09) e Rivaldo de Souza Pereira (entre 12/02/09 a
31/12/09), respectivamente.


Em razão das irregularidades apontadas no
parecer, a relatoria determinou, a Rivaldo Pereira, imputação de multa no valor
de R$ 4 mil, a ser recolhida ao erário municipal com recursos pessoais, no prazo
de 30 dias a contar do trânsito em julgado do parecer prévio. Cabe recurso da
decisão.


Foi determinada a
lavratura de termo de ocorrência para esclarecimento
de:

 

aplicação
de recursos recebidos de royalties; e de. recursos
repassados à Organização Técnica de Assessoramento aos Municípios – ORTAM, tanto
no valor pleiteado para apropriação referente à aplicação de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e
de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb,
quanto nos recursos repassados a entidades civis.


Quanto às
despesas glosadas em face da aplicação de recursos do Fundeb, houve ocorrência de desvio de finalidade. Os
recursos foram investidos em ações não abrangidas pela legislação de regência,
motivo pelo qual decidiu-se excluir o montante de
R$18.347.


No entanto, após analisadas as ponderações e
documentos apresentados pela defesa final, determinou-se que deve-se abater, do
montante indicado, o valor de R$17.239, não sendo possível apropriar-se o
dispêndio efetivado com a ORTAM, no valor de R$ 41.276, mesmo porque não
apresentadas as comprovações devidas e registrado nos autos que se trat
a
de subvenção social.


Assim, a
quantia de R$ 701.107 deve retornar à conta do Fundeb, com recursos
municipais, a contar do trânsito em julgado do decisório, sob pena de lavrar-se
termo de ocorrência, para aplicação de
penalidades específicas.


Câmara – As
contas do Legislativo, administradas por Rivaldo de Souza Pereira (01/01 a
10/02/2009) e Júnior César Amando Silva (11/02 a 31/12/2009), foram rejeitadas e
aprovada com ressalvas, respectivamente.


O pleno determinou
aplicação de multa de R$ 1 mil ao segundo gestor, a ser recolhida ao erário
municipal, com recursos pessoais do multado, e ressarcimento de R$.929,
referente a despesas com publicidade sem comprovação das matérias veiculadas, e
de R$22, correspondente ao pagamento de taxas bancárias geradas pela emissão de
cheques sem fundos.


Íntegra do voto do relator
da Prefeitura de Cansanção. (O voto ficará disponível após
conferência).


Íntegra do voto do relator
da Câmara de Cansanção. (O voto ficará disponível após conferência).


 



Smart News

Acompanhe a Gestão do Seu Município

Agenda

Confira a agenda do Tribunal para cada município. Clique na data destacada.

Últimas Decisões do Pleno


Mais Notícias

29/11/2021
Ex-prefeito de Mairi sofre representação ao MPE
Na sessão desta terça-feira (30/11), realizada por meio eletrônico, os conselheiros do...[leia mais]
25/11/2021
Nordeste apresenta índices preocupantes sobre evasão escolar
Estudo sobre a Educação durante a pandemia, evidenciou as desigualdades regionais que...[leia mais]
24/11/2021
Prefeita de Sento Sé sofre representação ao MPE
Na sessão desta quinta-feira (25/11), os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios da...[leia mais]
23/11/2021
Webinário analisa estudo sobre “Permanência Escolar na Pandemia”
O Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB), o Interdisciplinaridade e...[leia mais]