Notícias

A+
A-

José Milton Oliveira Cardoso determinou o pagamento de subsídios a mais aos vereadores no exercício de 2007.

12 de maio de 2010













O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta quarta-feira
(12/05), julgou procedente o termo de ocorrência lavrado contra o ex-presidente
da Câmara de Retirolândia, José Milton Oliveira Cardoso, em razão do
pagamento de subsídio aos vereadores em valor acima do que o fixado em lei, no
exercício de 2007.


A relatoria determinou ao ex-gestor o ressarcimento aos
cofres municipais do montante de R$ 17.958,00, referente ao valor
total recebido a maior, além de multa de R$ 1 mil. Cabe recurso da
decisão.


O processo relata que o índice de
revisão geral anual adotado pelo Legislativo de 16,07% foi superior ao índice de
inflação acumulada no exercício de 2005, medida pelo IPCA, que segundo o IBGE
foi de 5,69%.


Desta forma, o subsídio de R$ 1.600,00
estabelecido para cada vereador e de R$ 2.200,00 para o presidente na
legislatura de 2005/2008, foi reajustado através de nova lei municipal para R$
1.850,00 e R$ 2.550,00, respectivamente, enquanto o valor a ser reajustado pelo
IPCA limitava-se em R$ 1.691,04 e R$ 2.325,18.


Íntegra do voto do relator do termo de
ocorrência lavrado na Câmara de Retirolândia.
(O voto ficará disponível no portal após a
conferência)








Smart News

Acompanhe a Gestão do Seu Município

Agenda

Confira a agenda do Tribunal para cada município. Clique na data destacada.

Últimas Decisões do Pleno


Mais Notícias

25/11/2021
Nordeste apresenta índices preocupantes sobre evasão escolar
Estudo sobre a Educação durante a pandemia, evidenciou as desigualdades regionais que...[leia mais]
24/11/2021
Prefeita de Sento Sé sofre representação ao MPE
Na sessão desta quinta-feira (25/11), os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios da...[leia mais]
23/11/2021
Webinário analisa estudo sobre “Permanência Escolar na Pandemia”
O Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB), o Interdisciplinaridade e...[leia mais]
23/11/2021
Câmara de Paulo Afonso e de outros 19 municípios têm contas aprovadas
Os conselheiros e auditores da 1ª Câmara do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia...[leia mais]