Notícias

A+
A-

TCM rejeita contas de Raimundo Laudano Santos, relativas ao exercício de 2009, tendo que devolver aos cofres municipais a quantia de R$ 194.192.

26 de novembro de 2010













O Tribunal de Contas
dos Municípios, na quinta-feira (25/11), rejeitou as contas da Prefeitura de Almadina, da responsabilidade de José Raimundo Laudano Santos,
relativas ao exercício de 2009, que, por entre outros motivos cobrou dívidas de
outros agentes políticos, mas deixou de quitar as suas junto ao
TCM.


O relator do parecer,
conselheiro José Alfredo, imputou multa no valor de R$ 1 mil e determinou o
ressarcimento ao erário municipal, com recursos do próprio gestor, da quantia de
R$ 194.192, referente a ausência de comprovação de despesa. Cabe recurso da
decisão.


A receita arrecadada
alcançou o total de R$ 7.608.979 e as despesas executadas alcançaram montante de
R$ 8.342.737.


O relatório anual
apontou as principais irregularidades cometidas pelo gestor, entre elas: Gastos
pouco razoáveis no pagamento de diárias, não apresentação de notas fiscais
emitidas por meio eletrônico, inobservância a regras estabelecidas no Estatuto
das Licitações e ausência de individualização de beneficiários em pagamentos
realizados.


Foram registradas
pendências concernentes ao não recolhimento de multas e ressarcimentos impostos
a agentes políticos do município, sendo apresentado pelo gestor o comprovante de
quitação de apenas três, permanecendo pendentes as relativas a 32 processos,
inclusive, débitos da responsabilidade do próprio prefeito, no valor total de R$
10.500, comprometendo negativamente o mérito das contas.


Foi
cumprida a exigência contida no
ar
tigo 212 da
Constituição Federal, tendo sido aplicado na manutenção e desenvolvimento do
ensino o montante de R$ 2.701.212, correspondente ao percentual de
28,64%, superior ao mínimo de
25%.


A administração
municipal recebeu recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação
Básica e Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB no montante de R$
1.999.242, investindo na remuneração dos profissionais do magistério da educação
básica, em efetivo exercício na rede pública, o percentual de 68,87%, atendendo
a exigência legal.


E nas
ações e serviços públicos de saúde foram investidos R$ 912.006,
correspondente ao percentual de 17,30% dos recursos pertinentes, obedecendo o art. 77 do Ato das Disposições
Constitucionais Transitórias.


Íntegra
do voto do relator
das contas da Prefeitura de Almadina. (O voto ficará
disponível após conferência).

Smart News

Acompanhe a Gestão do Seu Município

Agenda

Confira a agenda do Tribunal para cada município. Clique na data destacada.

Últimas Decisões do Pleno


Mais Notícias

29/11/2021
Ex-prefeito de Mairi sofre representação ao MPE
Na sessão desta terça-feira (30/11), realizada por meio eletrônico, os conselheiros do...[leia mais]
25/11/2021
Nordeste apresenta índices preocupantes sobre evasão escolar
Estudo sobre a Educação durante a pandemia, evidenciou as desigualdades regionais que...[leia mais]
24/11/2021
Prefeita de Sento Sé sofre representação ao MPE
Na sessão desta quinta-feira (25/11), os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios da...[leia mais]
23/11/2021
Webinário analisa estudo sobre “Permanência Escolar na Pandemia”
O Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB), o Interdisciplinaridade e...[leia mais]