Notícias

A+
A-

Segundo a ministra Ellen Gracie a decisão impugnada (contra a Câmara de Salvador) "é um fator suscetível de efeito multiplicador", dando margem a que "outros legislativos municipais adotem o pagamento das mesmas verbas, desconsiderando a orientação firme e fundada do Tribunal de Contas dos Municípios", causando um impacto de mais de R$ 100 milhões.

6 de dezembro de 2010














O
Supremo Tribunal Federal decidiu, por unanimidade, não
conhecer o recurso de agravo regimental formulado pela Câmara
Municipal de Salvador, referente ao pagamento de verba indenizatória
aos vereadores.


A
ministra Ellen Gracie, na sua decisão, ressaltou o “impacto
lesivo à economia pública caracterizado, também,
pela potencialidade danosa aos erários públicos
municipais acarretando para a Câmara Municipal de Salvador o
dispêndio de R$ 2.862.000,00 (dois milhões, oitocentos e
sessenta e dois mil reais)”.


Disse
mais que “a decisão impugnada é um fator
suscetível de efeito multiplicador, dando azo a que outros
legislativos municipais adotem o pagamento das mesmas verbas,
desconsiderando a orientação firme e fundada do
Tribunal de Contas dos Municípios, causando um impacto de R$
103.266.238,00 (cento e três milhões, duzentos e
sessenta e seis mil, duzentos e trinta e oito reais)”.


Veja
a íntegra
da decisão do STF.



Smart News

Acompanhe a Gestão do Seu Município

Agenda

Confira a agenda do Tribunal para cada município. Clique na data destacada.

Últimas Decisões do Pleno


Mais Notícias

15/09/2021
Contas de 2019 de Salinas da Margarida são aprovadas
Na sessão desta quinta-feira (16/09), realizada por meio eletrônico, os conselheiros do...[leia mais]
15/09/2021
Ex-prefeita de Itiúba tem contas aprovadas
Os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia acataram, na sessão desta...[leia mais]
15/09/2021
Conselheiros acatam recurso e aprovam contas de Cachoeira
Na sessão desta quinta-feira (16/09), realizada por meio eletrônico, os conselheiros do Tribunal...[leia mais]
14/09/2021
Ex-prefeito de Santo Amaro sofre representação ao MPE
Os conselheiros e auditores da 1ª Câmara do Tribunal de Contas dos Municípios acataram...[leia mais]