Notícias

A+
A-

Apparecido Rodrigues Staut foi encaminhado ao MP, terá que devolver mais de R$ 236 mil por não comprovar licitações, além de receber multas de R$ 57.600 pela reincidência no excesso de despesas com pessoal e R$ 15 mil pelos inúmeros ilícitos praticados no exercício de 2011.

22 de novembro de 2012





As contas da Prefeitura de Teixeira de Freitas foram rejeitadas pelos<br /> conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios

As
contas da Prefeitura de Teixeira
de Freitas
foram rejeitadas pelos conselheiros do Tribunal de Contas dos
Municípios, nesta quinta-feira (22/11), sob a administração de Apparecido
Rodrigues Staut, referentes ao exercício financeiro de 2011.

A
relatoria convicta das irregularidades comprovadas no parecer, solicitou formulação
de representação ao Ministério Público, aplicou multas de R$ 57.600,00,
atinentes a 30% dos vencimentos anuais do gestor, por não reduzir as despesas
totais com pessoal e de R$ 15 mil por diversas impropriedades praticadas ao
longo do exercício.

O
prefeito ainda terá que devolver o montante de R$ 236.818,39, com recursos próprios,
oriundo do pagamento de juros e multas por atraso junto à Receita Federal
(PASEP e INSS).

O
Município de Teixeira de Freitas possui uma população estimada em
aproximadamente 141 mil habitantes, considerada a mais populosa do extremo sul
baiano, com uma receita na ordem de R$ 164.813.304,77 e um dispêndio de R$
154.775.805,43, registrando desta forma um saldo positivo em caixa totalizando
R$ 10.037.499,34.

Dentre
inúmeras falhas, os principais fatores que reprovaram as contas de Teixeira
foram: o deficiente investimento na Educação, reincidência na não redução
das despesas totais com pessoal e a ausência de lastro documental de licitações
realizadas.

Educação:
Foram
investidos o montante de R$ 43.103.291,44, equivalente a um percentual
deficiente de 22,31%, desobedecendo assim o art. 212 da Constituição Federal,
que estipula o mínimo de 25% dos recursos investidos.

Despesas
Totais com Pessoal:
É reincidente, alcançando a quantia de R$
87.026.066,85, que corresponde a 55,49% da receita corrente líquida de R$
154.233.202,81, em desacordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal, que
estabelece o limite máximo de 54%.

Licitações:
Ficou
comprovada no parecer, a ausência de diversos certames licitatórios que
impactaram no elevado montante R$ 32.233.173,76, além da fragmentação de
despesas que geraram o dispêndio de R$ 306.368,95, violando desta forma as exigências
previstas na Lei 8.666/93 (Lei de Licitações).

Cabe
recurso.

Íntegra
do voto
do relator das contas da Prefeitura de Teixeira de Freitas.

Smart News

Acompanhe a Gestão do Seu Município

Agenda

Confira a agenda do Tribunal para cada município. Clique na data destacada.

Últimas Decisões do Pleno


Mais Notícias

22/05/2022
Estudo da DAM orienta sobre a fase competitiva da Licitação
Dando continuidade ao estudo da nova Lei de Licitações e Contratos – Lei nº 14.133/2021, a...[leia mais]
19/05/2022
Diretoria do TCM publica nova edição do boletim informativo
A Diretoria de Assistência aos Municípios do TCM publicou, nesta sexta-feira (20/05), uma nova...[leia mais]
18/05/2022
Conselheiro Raimundo Moreira se aposenta do TCM e é homenageado
O conselheiro Raimundo Moreira participou nesta quinta-feira (19/05) de sua última sessão no...[leia mais]
18/05/2022
Prefeituras de Rio de Contas e Várzea da Roça têm contas aprovadas
Os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios emitiram parecer prévio recomendando a...[leia mais]