Notícias

A+
A-

Prefeito Luiz Caetano gastou R$ 14 milhões com locação de veículos em 2008, além de fazer contratos de prestação de serviços no valor de R$ 36 milhões, que serão investigados por técnicos do TCM.

15 de dezembro de 2009













O Tribunal de Contas
dos Municípios, nesta terça-feira (15/12), aprovou com ressalvas as contas do
prefeito de Camaçari, Luiz

 

Caetano, relativas ao exercício de 2008,
mas determinou a realização de auditorias devido aos gastos com locação de
veículos e contratos de prestação de serviços no valor de R$ 50 milhões.


O relator do parecer,
conselheiro Fernando Vita, determinou ao gestor o recolhimento aos cofres
públicos municipais da importância de R$ 430.029,42,
referente ao montante pago a maior aos secretários municipais, e imputou multa
no valor de R$ 20 mil. Cabe recurso da decisão.


E considerando o
volume de recursos destinados ao pagamento despesas de R$ 14 milhões com locação de
veículos ,
como também as originárias do contrato de R$ 6 milhões com a ORBRASERV – Organização Brasileira
de Serviços

 

e do convênio no valor de R$ 30 milhões firmado com a FAPEX – Fundação de Apoio à
Pesquisa e Extensão, instituição vinculada à Universidade Federal da Bahia, a
relatoria determinou a realização de auditorias, tanto para se avaliar a legalidade das contratações, quanto
para se aferir a sua efetiva adequação aos princípios constitucionais que
dimanam do artigo 37 da Constituição Federal.


No exercício de 2008 o
município de Camaçari apresentou uma receita arrecadada de R$ 534.669.689,65 e
uma despesa executada de R$ 536.462.503,26, demonstrando um déficit orçamentário
de execução de R$ 1.792.813,61.


O acompanhamento da execução contábil, orçamentária,
financeira e patrimonial das contas foi realizado pela Inspetoria Regional de
Controle Externo, ocasião em que falhas e irregularidades foram apontadas e
levadas, mediante notificações, ao conhecimento do responsável, que apresentou
os esclarecimentos julgados pertinentes ao saneamento processual.


Entretanto, os relatórios e o pronunciamento técnico
apontaram as seguintes ressalvas: cometimento de falhas e irregularidades quanto
ao cumprimento das normas referentes a execução orçamentário-financeira,
contratação de servidores sem a realização de concurso público, despesas
excessivas com juros, amortização e encargos da dívida junto às instituições
financeiras, alhas técnicas na
abertura e contabilização de créditos adicionais, entre
outras.


A prefeitura cumpriu o
mandamento contido no artigo 212 da Constituição Federal, aplicando na
manutenção e desenvolvimento do ensino o total de R$ 114.160.773,89,
correspondente a 25,69% da receita resultante de imposto, quando o mínimo
exigido é de 25%.


E aplicou o percentual
de 80,71% dos recursos do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica – FUNDEB
na remuneração dos profissionais em efetivo exercício do magistério da educação
básica, correspondente a R$ 43.533.095,55, em cumprimento ao estabelecido pelo
artigo 22 da Lei 11.494/07, sendo o percentual mínimo 60%.


O Executivo também
investiu em ações e serviços públicos de saúde o total de R$ 68.784.308,57,
corresponde a 15,55% dos impostos e transferências, em cumprimento à exigência
estabelecida pelo Ato das Disposições Constitucionais
Transitórias.


CâmaraNa mesma sessão, o pleno aprovou com ressalvas as
contas da presidente do Legislativo de Camaçari, Luíza Costa Maia, relativas ao
exercício de 2008, com aplicação de multa no valor de R$ 10 mil a gestora, que
poderá recorrer da decisão.


A relatoria também determinou
o ressarcimento
aos cofres públicos municipais da importância de R$ 177.789,31, com recursos
pessoais,
referente ao montante pago a maior aos vereadores, e
de R$ 4.123,56, relativo a ausência de comprovação de restituição ao Tesouro
Municipal.


A análise técnica destacou as principais
irregularidades praticadas pelo Legislativo: realização de despesas
imoderadas, pagamento de subsídios a agentes políticos em valores superiores ao
definido pela legislação, relatório de controle interno insatisfatório,
i
nserção de dados no Sistema LRF-net
após encerramento dos prazos e não cumprimento dos prazos previstos do SICOB e
SIP.


Íntegra do voto do
relator
das contas da Prefeitura de Camaçari.
(O voto ficará
disponível no portal após a conferência na sessão seguinte a que foi
relatado).


Íntegra do voto do
relator
das contas da Câmara de Camaçari. (O voto ficará disponível no portal
após a conferência na sessão seguinte a que foi
relatado).

Smart News

Acompanhe a Gestão do Seu Município

Agenda

Confira a agenda do Tribunal para cada município. Clique na data destacada.

Últimas Decisões do Pleno


Mais Notícias

02/12/2021
TCM promove sorteio prévio para processos referentes a 2022
O Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia realizou, na sessão dessa quinta-feira (02/12), o...[leia mais]
02/12/2021
Diretor da Escola de Contas participa de evento sobre Governança Pública
O diretor adjunto da Escola de Contas do TCM, professor José Francisco de Carvalho Neto,...[leia mais]
01/12/2021
TCM amplia participação nas redes sociais
O Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia ampliou a sua presença nas redes sociais e desde...[leia mais]
01/12/2021
Auditor do TCM participa de evento sobre obras públicas
O auditor estadual de Infraestrutura, Bartolomeu Lordelo, representou o Tribunal de Contas dos...[leia mais]